O grande vencedor do Troféu Redentor 2015 é Boi Neon, de Gabriel Mascaro, que conquistou os prêmios de melhor longa de ficção, melhor roteiro, melhor direção de fotografia e melhor atriz coadjuvante (a pequena Alyne Santana). Pela terceira vez em quatro anos um longa pernambucano ganha o Festival do Rio, depois de O Som ao Redor (2012) e Sangue azul (2014).

Segundo a organização do Festival do Rio informou que ao final de dez dias intensos de filmes na Première Brasil entre ficções e documentários, a competição oficial contou com a exibição de vinte longas e dez curtas. A vitória ocorreu trinta dias após a conquista do prêmio especial do júri da seção Horizontes da 72ª edição do Festival de Veneza, quando dedicou o prêmio à equipe que se dedicou à produção que mistura ficção e documentário.

Confira abaixo a lista completa de vencedores do Festival do Rio:
Première Brasil
Júri oficial presidido por Walter Carvalho e composto por Christian Sida-Valenzuela, Alan Poul, Pape Boye e Vivian Ostrovsky.
Melhor longa-metragem de ficção: Boi Neon, de Gabriel Mascaro
Melhor longa-metragem de doc: Olmo e a Gaivota, de Petra Costa
Melhor curta-metragem: Pele de Pássaro, de Clara Peltier
Melhor diretor de ficção: Ives Rosenfeld (Aspirantes) + Anita Rocha da Silveira (Mate-me Por Favor)
Melhor diretor de DOC: Maria Augusta Ramos (Futuro Junho)
Melhor atriz: Valentina Herszage (Mate-me Por Favor)
Melhor ator: Ariclenes Barroso (Aspirantes)
Melhor atriz coadjuvante: Julia Bernat (Aspirantes) e Alyne Santana (Boi Neon)
Melhor ator coadjuvante: Caio Horowicz (Califórnia)
Melhor fotografia: Diego Garcia (Boi Neon)
Melhor montagem: Sérgio Mekler (Campo Grande)
Melhor roteiro: Gabriel Mascaro (Boi Neon)
Prêmio especial do júri: Quase Memória, de Ruy Guerra
Novos Rumos
Júri presidido por Rosane Svartman e composto Diana Almeida, Karen Sztajnberg e Natália Lage
Melhor filme: Beira-Mar, de Filipe Matzembacher, Marcio Reolon
Melhor curta: Outubro Acabou, de Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes
Prêmio Especial do Júri – Jonas, de Lô Politi
Prêmio Fipresci
Júri composto por Christian Petterman, Flávia Guerra e Ricardo Cota
Melhor longa latino-americano: Te Prometo Anarquia, de Julio Hernández Cordón
Juri Voto Popular:
Melhor longa ficção: Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner
Melhor longa documentário: Betinho – A Esperança Equilibrista, de Victor Lopes
Melhor curta: Até a China, de Marão