O maestro Roberto Minczuk não é mais regente titular da Orquestra Sinfônica Brasileira.  Sem nota oficial e manifestações nas redes sociais, o maestro assume o posto recém-criado de Maestro Emérito, deixando vago a função de titular de um dos mais tradicionais conjuntos sinfônicos do país.

Com a saída de Minczuk, dois nomes têm sido considerados: o maestro John Neschling, atual diretor do Teatro Municipal de São Paulo e Marcelo Lehninger, que vem se destacando em carreira nos Estados Unidos.

Roberto Minczuk tem uma trajetória de dez anos a frente da OSB, com algumas polêmicas, como a exigência de que músicos passassem por novas audições.  A medida criou uma desarticulação do conjunto devido a recusa de um grupo em se submeter a audição; a reunificação deu-se no ano passado com a condição de alguns artistas de não tocar sob a regência do maestro.