Blog Julio O. Amado

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos serão os principais destaques do debate Deslocando fronteiras: cultura política, movimentos sociais e emancipação social, que será realizado nesta quinta-feira (29), a partir das 18h30, no Rio de Janeiro. Também estará presente à discussão o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher.
O debate, que será aberto ao público e transmitido ao vivo pela internet, faz parte do seminário Cultura e Política, uma iniciativa do programa Cultura e Pensamento. O seminário também contará com a roda de conversa Democratizando a democracia a partir dos movimentos sociais, a partir das 15h, com a participação da rapper e socióloga Rubia RPW, da Frente Nacional de Mulheres do Hip Hop (SP), de João Paulo Mehl, do Pontão de Cultura Soylocoporti (PR), de Raoni Mouchoque, da RioParadaFunk, de Giowana Cambrone, representante do movimento LGBT, de Concita Sompre, da Associação Indígena Gavião Kyikatêjê, e dos secretários do MinC Guilherme Varella (Políticas Culturais) e Vinícius Wu (Articulação Institucional).
Boaventura de Sousa Santos é um dos mais respeitados pensadores sobre globalização, sociologia do direito, epistemologia, democracia e direitos humanos. Já realizou seus trabalhos de pesquisa em Cabo Verde, Macau, Moçambique, África do Sul, Colômbia, Bolívia, Equador, Índia e Brasil – onde morou, nas favelas no Rio, para produzir sua tese de doutorado, intitulada o Direito dos Oprimidos.
Com mais de 20 livros publicados, Boaventura Santos já foi traduzido para o espanhol, inglês, italiano, francês e alemão e atualmente é diretor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e coordenador científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa. Dirige também o projeto de investigação Alice – Espelhos estranhos, lições imprevistas: definindo para a Europa um novo modo de partilhar as experiências o mundo.
Juca Ferreira, que ocupa pela segunda vez o cargo de ministro da Cultura, nasceu em Salvador (BA) e foi militante estudantil, eleito presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) em 1968. Por lutar contra o regime militar, foi exilado e viveu nove anos no Chile, na Suécia e na França, onde se formou em Ciências Sociais pela Universidade Paris 1 – Sorbonne. De volta ao Brasil, após a Anistia, trabalhou como assessor especial da Fundação Cultural do Estado da Bahia, onde desenvolveu diversos projetos ligados à área cultural.
Também militante na área ambiental, Juca Ferreira foi secretário de Meio Ambiente da cidade de Salvador, presidente da Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente e eleito duas vezes vereador pela capital baiana. Foi embaixador especial da Secretaria-Geral Ibero-americana (Segib), em Madri, e integrou o grupo de elaboração da Agenda XXI da Cultura, em Barcelona. Antes de assumir o Ministério da Cultura (MinC) pela segunda vez, foi secretário municipal de Cultura de São Paulo.
Sobre o Cultura e Pensamento
Desenvolvido pelo MinC, o programa Cultura e Pensamento teve seu primeiro ciclo realizado entre 2005 e 2012, focado no debate teórico acerca da cultura. Em 2015, ele foi retomado com a proposta de estimular a reflexão e a interlocução entre diferentes visões do campo da cultura, ultrapassando a barreira acadêmica e reunindo grupos culturais, movimentos, redes, ativistas, intelectuais, fazedores e fazedoras de cultura, jovens inovadores, mestres e mestras, aproximando campos sociais, territórios e correntes de pensamento.
O segundo ciclo do programa foi inaugurado em setembro, também no Rio de Janeiro, com o tema A Crise de Valores na Sociedade Atual. A cidade de São Paulo será a próxima a receber uma edição do Cultura e Pensamento. No dia 4 de novembro, será realizado na capital paulista o seminário Cidade e Cultura: a construção de outros imaginário urbanos.
Programação do Seminário Cultura e Política
Rio de Janeiro
29 de outubro
15h – Roda de diálogo Democratizando a democracia a partir dos movimentos sociais
18h30 – Debate Deslocando fronteiras: cultura política, movimentos sociais e emancipação social
Local: Teatro Arena – Campus Praia Vermelha da UFRJ, Urca.
Por Vinícius Mansur / Ascom MINC

O sociólogo Juca Ferreira assumiu hoje sua segunda gestão frente ao Ministério da Cultura (Minc). Ferreira recebeu o cargo da então ministra interina, Ana Cristina Wanzeler, em solenidade realizada nesta manhã, no Teatro Funarte Plínio Marcos, em Brasília. Na cerimônia, que contou com a forte presença de setores da cultura e artes da sociedade brasileira, o ministro se comprometeu em trabalhar com amplo diálogo e participação social, aprimorar o sistema de financiamento da cultura, modernizar a legislação de direitos autorais, buscar a aprovação da PEC da Cultura, reforçar parcerias culturais com outros países, criar uma política nacional para as artes e ampliar o acesso aos bens culturais via ambiente digital.

A reativação do Conselho Nacional de Políticas Culturais e as Conferências de Cultura serão, segundo ele, o mecanismo de participação social em sua gestão, além de uma implantação de mecanismos contemporâneos de construção e deliberação online, como por exemplo o uso do Gabinete Digital, que terá os objetivos de dar “transparência absoluta” às atividades do MinC e de ser uma interface de cogestão, aberta e colaborativa, com os cidadãos.