O Festival de Gramado anunciou nesta terça-feira, 30 de junho, os filmes selecionados e as homenagens programadas para a sua 43ª edição.  Quatro mostras competitivas reúnem oito longas-metragens brasileiros, sete longas estrangeiros, 15 curtas-metragens nacionais e 15 curtas gaúchos. As homenagens deste ano serão concedidas à atriz Marília Pera e ao ator e cineasta Daniel Filho. O evento acontece entre os dias  7 e 15 de agosto.

Confira abaixo os filmes selecionados para as mostras competitivas:

Longas-Metragens Brasileiros

“Ausência”, de Chico Teixeira (SP)
“Introdução à música do sangue”, de Luiz Carlos Lacerda (RJ)
“O fim e os meios”, de Murilo Salles (RJ)
“O outro lado do paraíso”, de André Ristum (DF)
“O último cine drive-in”, de Iberê Carvalho (DF)
“Ponto Zero”, de José Pedro Goulart (RS)
“Que horas ela volta?”, de Anna Muylaert (SP)
“Um homem só”, de Cláudia Jouvin (RJ)

Longas-Metragens Estrangeiros

“Ella”, de Libia Stella Gómez (Colômbia)
“En la estancia”, de Carlos Armella (México)
“La Salada”, de Juan Martin Hsu (Argentina)
“Ochentaisiete”, de Anahi Hoeneisen e Daniel Andrade (Equador)
“Presos”, de Esteban Ramírez Jímenez (Costa Rica)
“Venecia”, de Kiki Alvarez (Cuba)
“Zanahoria”, de Enrique Buchichio (Uruguai)

Curtas-Metragens Brasileiros

“Bá”, de Leandro Tadashi (SP)
“Como são cruéis os pássaros da alvorada”, de João Toledo (MG)
“Dá licença de contar”, de Pedro Serrano (SP)
“Enquanto o sangue coloria a noite, eu olhava as estrelas”, de Felipe Arrojo Poroger (SP)
“Haram”, de Max Gaggino (BA)
“Heroi”, de Pedro Figueiredo (SP)
“Macapá”, de Marcos Ponts (MA)
“Miss & Grubs”, de Camila Kamimura e Jonas Brandão (SP)
“Muro”, de Eliane Scardovelli (SP)
“O Corpo”, de Lucas Cassales (RS)
“O teto sobre nós”, de Bruno Carboni (RS)
“Quando parei de me preocupar com canalhas”, de Tiago Vieira (SP/GO)
“S2”, de Bruno Bini (MT)
“Sêo Inácio (ou o cinema imaginário)”, de Helio Ronyvon (RN)
“Virgindade”, de Chico Lacerda (PE)

Curtas-Metragens Gaúchos

“Arte da loucura”, de Karine Emerich e Mirela Kruel (Porto Alegre)
“Atrás da sombra”, de Luciana Mazeto e Vinícius Lopes (Porto Alegre)
“Bruxa de fábrica”, de Jonas Costa (São Leopoldo)
“Consertam-se gaitas”, de Ana Cris Paulus, Boca Migotto e Felipe Gue Martini (Bento Gonçalves)
“Da vida só espero a morte”, de Júlia Ramos (Porto Alegre)
“De que lado me olhas”, de Carolina de Azevedo e Elena Sassi (São Leopoldo)
“Kaali”, de Gabriel Motta Ferreira (Porto Alegre)
“Nes pas projeter”, de Cristian Verardi (Porto Alegre)
“O Corpo”, de Lucas Cassales (Porto Alegre)
“O Sonho, o limiar e a porta que metamorfoseia”, de Gustavo Spolidoro (Porto Alegre)
“Pele de concreto”, de Daniel de Bem (Porto Alegre)
“Plano”, de Virginia Simone, Carlos Dias e Matheus Walter
“Quanto mais suicida, menos suicida”, de Maurício Canterle Gonçalves (Santa Maria)
“Rito sumário”, de Alexandre Derlam (Porto Alegre)