O livro, que começou a ser feito em 2007, também explora a criação do selo Banguela Records e vai até o fim dos anos 1990, com o início do sucesso dos Los Hermanos.

 

O cantor e compositor Gabriel Thomaz contém em seu acervo centenas de fitas cassetes e uma respeitável memória fotográfica da história do rock. Partindo de sua própria trajetória no rock, o artista, e agora historiador do rock, catalogou uma centena de bandas dos anos 1990 para o livro Magnéticos90. O livro, narrado por Thomaz,  é um quadrinho feito com  ilustrações do artista Daniel Juca, que, ao compilar histórias, casos e uma coleção de demos em K7, faz um didático apanhado do rock brasileiro dos anos 1990.

O quadrinho começa com Thomaz detalhando sua adolescência em Brasília, ouvindo Legião Urbana, Plebe Rude, Ramones e Ratos de Porão, e seu  próprio início no “show biz”: concursos de colégio e bandas com os colegas de sala. Foi assim que surgiu o Little Quail (músicas como 1, 2, 3, 4 e Aquela, depois regravada pelo Raimundos, são difíceis de esquecer). Com uma dedicação positivamente quixotesca, as coisas começaram a acontecer, a banda gravou num estúdio em Brasília, e as demos – fitas cassete que serviam como uma “demonstração” para gravadoras – começaram a correr o País pelo correio.

Thomaz cita no livro uma verdadeira enciclopédia de dezenas e dezenas de bandas e demos da época – muitas delas, agora estão digitalizadas e disponíveis na web, graças ao trabalho do músico catarinense Edson Luís de Souza, no site demo-tapes-brasil.blogspot.com e também no magneticos90.com.br.


MAGNÉTICOS 90

Autores: Gabriel Thomaz e Daniel Juca
Editora: Ideal ( 224 págs., R$ 49,90)