a_man_of_integrity_3_h_2017

Cineasta iraniano que foi preso por “propaganda anti-regime” é o grande vencedor da mostra Um Certo Olhar do festival de Cannes 2017

O filme do cineasta Mohammad Rasoulof fala sobre um homem que trabalha em uma fazenda de peixinhos dourados no norte do Irã, que se torna enredado em laços corruptos entre os líderes locais e empresários.

O cineasta,  que em 2010 foi condenado a seis anos de prisão por fazer um documentário sobre os protestos que se seguiram à reeleição em disputa do então presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad no ano anterior, chegou a ser proibido de fazer filmes por 20 anos, mas a sentença foi reduzida para um ano em apelo.

Esta é a terceira vez que Rasoulof é premiado na mostra. Em 2011, conquistou o prêmio de Melhor Diretor por “Goodbye”, mas já na ocasião enfrentou censura política, tendo sido proibido de sair de seu país para participar do festival francês.  Mesmo assim, rodou clandestinamente “Manuscritos não Queimam”, justamente sobre a experiência de ser um preso político, premiado pela crítica na Um Certo Olhar de 2013.

Outro premiados foram o mexicano “Las Hijas de Abril”, de Michel Franco, sobre a gravidez de uma adolescente, que venceu o Prêmio do Júri, a atriz italiana Jasmine Trinca, como Melhor Intérprete por “Fortunata”, e o francês Mathieu Almaric com uma Menção Honrosa pela direção “Barbara”.

VENCEDORES DA MOSTRA UM CERTO OLHAR 2017

Melhor Filme
“Lerd” (A Man Of Integrity) – Irã

Melhor Direção
Taylor Sheridan (“Wind River”) – Estados Unidos

Melhor Atuação
Jasmine Trinca (“Fortunata”) – Itália

Prêmio do Juri
“Las Hijas de Abril” – México

Menção Honrosa
Mathieu Almaric (“Barbara”) – França