O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Agência do Patrimônio Cultural da Holanda (RCE) assinaram nesta semana um acordo técnico. O principal interesse entre os dois países é a troca de conhecimento sobre mecanismos de gestão e financiamento do patrimônio cultural. Entre os objetivos estão o de produzir conhecimento e analisar o papel do poder público, do setor privado e da sociedade civil, no Brasil e na Holanda, para a preservação de seu patrimônio cultural edificado. 

A vantagem para o Brasil no acordo é a experiência holandesa com o uso de centros históricos recuperados e de patrimônios culturais, de forma a gerar renda para o local ao mesmo tempo em que garante a preservação e cumpre com demanda da sociedade. Já para a Holanda o foco de atenção são as  experiências brasileiras em gestão da política de patrimônio cultural.